quinta-feira, dezembro 01, 2016

quarta-feira, novembro 30, 2016

Clarisse Lispector

Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.

segunda-feira, novembro 28, 2016

Pelo menos uma vez na vida.....

Nunca fiz listas.
Esta foi uma brincadeira feita no final de 2006 (a azul) que revisitei em meados de 2014 (a verde).
Apenas por curiosidade voltei a ela hoje.
Como seria de esperar não acrescentei muita coisa (desta vez a vermelho).


Mas não sei pensar/responder completamente a uma questão que levanto a mim própria, que é para mim muito mais interessante do que qualquer lista. O saber que há experiências de vida que me perturbam mais do que gostaria, que me mudam subtilmente mesmo sabendo eu que permaneço na essência igual a mim própria. Que parcela é esta de mim mesma que resvala da solidez em que assento e que faz estremecer a estrutura.
Não me interpretem mal, não a acho inadequada, nem é mal recebida. Nem sei adjectivar essas experiências de boas ou más. O que é isto que muda dentro de mim? Invisível aos olhos de quase todos. O que é mutável e o que é imutável? 

O que sei - é que tenho esta demanda interna, e esta não tem mudado - de me tentar entender e nomear o que vou sentindo. Mesmo que esse seja um percurso às vezes atabalhoado e incerto como estas linhas que acabei de escrever. 

__________________________


01. Pagar uma bebida a toda a gente num bar
02. Nadar com golfinhos selvagens
03. Subir uma montanha
04. Fazer um test drive num ferrari
05. Estar dentro da grande pirâmide
06. Pegar numa tarântula
07. Tomar um banho à luz de velas com alguém
08. Dizer “amo-te” e senti-lo
09. Abraçar uma árvore
10. Bungee jumped
11. Visitar Paris
12. Observar uma tempestade em alto mar
13. Ficar acordada a noite inteira e ver o nascer do sol
14. Ver o sol da meia-noite
15. Ir a um grande acontecimento desportivo
16. Subir as escadas até ao topo da torre de pisa
17. Cultivar e comer os teus próprios vegetais
18. Tocar um iceberg
19. Dormir sob as estrelas
20. Mudar a fralda a uma criança
21. Fazer um passeio num balão de ar quente
22. Ver uma chuva de meteoros
23. Ficar embriagado com champanhe
24. Dar mais do que se pode por caridade
25. Olhar para o céu nocturno por um telescópio
26. Ter um ataque de riso na pior altura possível
27. Fazer uma luta de comida
28. Apostar num cavalo vencedor
29. Convidar um estranho para sair
30. Fazer uma batalha de bolas de neve
31. Gritar tão alto quanto se possa
32. Pegar num cordeiro
33. Ver um eclipse total
34. Andar de montanha russa
35. Fazer um “home run”
36. Dançar como um louco e não te preocupares com quem está a ver
37. Falar com sotaque por um dia inteiro
38. Estar mesmo feliz com a tua vida, mesmo que só por um momento
39. Ter dois hard drives para o computador
40. Conhecer o teu país 
41. Cuidar de alguém embriagado
42. Ter amigos fantásticos
43. Dançar com um estranho num país estrangeiro
44. Ver baleias selvagens
45. Roubar uma placa/sinal de trânsito
46. Andar de mochila às costas pela Europa
47. Fazer uma road-trip
48. Fazer escalada
49. Fazer um passeio noite dentro pela praia
50. Fazer paraquedismo
51. Visitar a Islândia
52. Ficar de coração partido mais tempo do que se esteve realmente apaixonado
53. Sentar-te na mesa de um estranho num restaurante e comer com ele
54. Visitar o Japão
55. Mugir uma vaca
56. Ordenar os teus CD’s alfabeticamente
57. Fingir que se é um super-heroi
58. Cantar karaoke
59. Preguiçar na cama o dia todo
60. Pousar nu em frente a estranhos
61. Fazer mergulho
62. Dar um beijo à chuva
63. Brincar na lama
64. Brincar à chuva
65. Ir a um cinema drive-in
66. Visitar a grande muralha da China
67. Começar um negócio
68. Apaixonar-se e não ficar de coração partido
69. Visitar locais ancestrais
70. Fazer uma arte marcial
71. Jogar um jogo mais de 6 horas seguidas
72. Casar
73. Entrar num filme
74. Ser penetra numa festa
75. Divorciar-se
76. Ficar sem comer 5 dias
77. Fazer biscoitos desde o começo
78. Ganhar o primeiro lugar num concurso
79. Andar de gôndola em Veneza
80. Fazer uma tatuagem
81. Fazer canoagem
82. Estar num programa de televisão como especialista
83. Receber flores sem razão
84. Representar num palco
85. Visitar Lasvegas
86. Gravar música
87. Comer tubarão
88. Ter um caso de uma noite
89. Ir à Tailândia
90. Comprar uma casa
91. Estar numa zona de guerra
92. Sepultar um dos seus pais
93. Fazer um cruzeiro
94. Falar mais do que uma língua fluentemente
95. Alguém confiar a si um segredo que não contou nunca
96. Educar uma criança
97. Acompanhar o tour da tua banda favorita
98. Criar e nomear as tuas próprias constelações de estrelas
99. Fazer um passeio exótico de bicicleta num país estrangeiro
100. Mudar de cidade simplesmente para começar de novo
101. Andar na Golden Gate Bridge
102. Cantar bem alto no carro e não parar quando vê que alguém está a olhar
103. Fazer uma cirurgia plástica
104. Sobreviver a uma doença em que se podia ter morrido
105. Ter artigos publicados
106. Perder mais de 50 EUR
107. Cuidar de alguém que esteja a ter um flashback
108. Pilotar um avião
109. Dar festas a uma cobra110. Partir o coração a alguém
111. Ajudar um animal a dar à luz
112. Ganhar dinheiro num concurso televisivo
113. Partir um osso
114. Fazer um safari fotográfico em Africa
115. Fazer um piercing
116. Disparar uma arma
117. Comer cogumelos apanhados por si
118. Andar a cavalo
119. Fazer uma grande cirurgia
120. Ter uma cobra como animal de estimação
121. Descer ao fundo do Grand Canyon
122. Dormir mais de 38 horas seguidas
123. Visitar mais países estrangeiros do que províncias no teu país
124. Visitar todos os continentes
125. Fazer um passeio de canoa que dure mais do que 2 dias
126. Comer carne de canguru
127. Comer sushi (será possível que em 2006 não tivesse provado ainda???)
128. Ter a tua fotografia nos jornais (vale o nome?)
129. Mudar a opinião de alguém sobre alguma coisa em que acreditas profundamente
130. Voltar à escola
131. Fazer parapente
132. Fazer de uma barata um animal de estimação
133. Comer tomates fritos
134. Ler a Ilíada e a Odisseia
135. Seleccionar um autor importante que não trabalhou na escola e lê-lo
136. Matar e preparar um animal para come-lo
137. Faltar a todas as reuniões de antigos colegas de escola
138. Comunicar com uma pessoa sem partilharem um língua comum
139. Ser eleita para um cargo público (sociedades cientificas contam?)
140. Escrever a tua própria linguagem no computador
141. Pensar para ti próprio que estás a viver o teu sonho
142. Ter de por alguém de quem gostas num internamento psiquiátrico
143. Construir o teu PC a partir de peças soltas
144. Vender uma peça artística feita por ti a alguém que não te conhece
145. Ter uma banca numa feira de rua
146: Pintar o teu cabelo
147: Ser um DJ
148: Rapar a cabeça
149: Causar um acidente de viação
150: Salvar a vida de alguém

sábado, novembro 26, 2016

terça-feira, novembro 15, 2016

do amor

"Dissecar o amor é perverte-lo" 

José António Barata*


_________________________________________
Dr José António Barata, Psiquiatra
*"O que deixamos quando nos formos embora?
Não são artigos... não são livros... é o que afectivamente fomos capazes de dar e que os outros souberam receber"

sexta-feira, novembro 11, 2016

A Amiga Genial

1500 paginas depois...
(na verdade não sei quantas são)

É verdade que a escrita de Elena Ferrante me perturba.
Depois de terminar esta história, que se estende por 4 volumes, tentei perceber porquê.

É indiscutível a forma como mergulha no universo feminino. Como dá corpo, em palavras, a pensamentos e sentires secretos. As palavras são simples, o que abordam extremamente complexo.
Mas o que me perturba? Se não me sinto reflectida nas suas personagens?
Percebi, à medida que as páginas se esgotavam rapidamente (é aditiva a sua escrita), que o que me inquietava era a falta de esperança. Não sei se é esperança, se é sonho, ou simplesmente romantismo.
Nestas páginas as coisas são o que são... Cruas... de uma verdade despida de qualquer artificio.
E eu não sou capaz de ser assim!
Aflige-me a inevitabilidade das coisas, das repetições, da impossibilidade de mudança.
Como às tantas todos (ou quase todos) os acontecimentos que se iam sucedendo eram previsíveis, como um abismo que atrai numa vertigem a que é impossível escapar.

Escrito com mestria sim!
Mas perturbador.

Gostei mais do outro livro de Elena Ferrante que li "Crónicas do Mal de Amor" de que falei aqui.
Se calhar por ter sido o primeiro... Ou por serem estórias mais curtas, não menos cruas, talvez mais intensas ainda...

____________

Sobre a foto que se segue...
Devíamos poder fazer sempre isto: Ler um livro no cenário em que a acção se passa.
Esta estória passa-se entre Nápoles, Florença e Milão, e aqui estava eu, num jardim de Milão num final de tarde ameno, com este romance envolvente.




sexta-feira, novembro 04, 2016

Dias mágicos

Não é qualquer dia que é dia.
Para qualquer coisa!
Há dias em ela está mais viva, mais desperta, mais atenta.
Os sentidos apuram-se, e tudo se torna mais possível, mais real, mais poético.

E é nesses dias que gosta de sozinha, ao seu ritmo, passear pelos corredores de um museu.
E maravilhada encanta-se com pormenores, com tonalidades, com a arte de conseguir transpor para um quadro a força.
Que dom têm os grandes mestres que a cativam, a aprisionam a um quadro que a seduz.
Que prazer ficar sentada, perder-se no tempo, frente a uma obra que a absorve, descobrir-lhe os pormenores, as histórias, ou simplesmente deixar-se mergulhar nas sensações que a pintura provoca.

Mas não são todos os dias em que se perde assim.
É um sopro de sorte, estar num grande museu num desses dias mágicos.


Ceia em Emaús 1606 -Caravaggio

Il bacio, 1859 - Francesco Hayez
Vecchio Orante - Giovanni Battista Piazzetta

Fiumana, 1895-96 - Giuseppe Pellizza da Volpedo


(Uma tarde passada na Pinacoteca de Brera em Milão)

terça-feira, outubro 25, 2016

Lizz Wright - "Nearness of You"

Visitantes misteriosos

Can someone help me solve a mystery?
Every day there are several entrances in my blog coming from an adult site/blog
You are welcome!
I just don't understand how did you get here...

Any clue?
Anyone?

:)

________________________


Alguém me ajuda a resolver um mistério que me intriga...?
Todos os dias tenho várias entradas no blog, de várias proveniências, que me levam sempre a um mesmo site/blog para adultos no qual nunca entrei (não passei da pergunta "tem mais de 18 anos?)
São muito bem vindos!
Qualquer pessoa é!
Só não compreendo como aqui vêm parar.

Alguém me pode esclarecer?
:)

domingo, outubro 16, 2016

Diálogos mãe-filha

S - Mãe sabes que há pessoas que dizem que a alma pesa 21g?
I - Sim
S - Sabes porquê?
I - Porque quando as pessoas morrem ficam mais leves
S - Sim, 21g!
I - Mas isso pode ser só ar....
S - SSSHHH!!!!! Deixa a alma pesar!

terça-feira, outubro 11, 2016

vida por um fio

Adicionar legenda

sexta-feira, setembro 30, 2016

Afinal já gosto um bocadinho da Barbie!

Nunca gostei da Barbie, sempre achei que passava ma imagem distorcida do feminino, mulheres irreais, de vidas ricas e perfeitas, com corpos que não existem.
Mas...
Há sempre um mas!

Eis que houve uma iniciativa que me parece digna de registo!
Ainda por cima porque homenageia duas amigas minhas!
:)

Bem hajam mulheres portuguesas!
Bem haja o projecto Barbie por de vez em quando fazer umas coisas interessantes!


Quem é quem AQUI

Catarina Furtado, Sara Moreira, Rita Ferro Rodrigues, Iva Domingues, Vera Sacramento, Mariana Duarte Silva, Anna Lins, Joana Barrios, Ângela Ferreira, Victoria Guerra e as ginastas Joana Moreira e Rita Ferreira foram as 12 mulheres portuguesas homenageadas pela Barbie, na passada quinta-feira. 

Sob o mote "tu podes ser o que quiseres", uma mensagem inspiradora para jovens e mulheres portuguesas, a marca quis distinguir figuras femininas nas mais diversas áreas. 


terça-feira, setembro 27, 2016

Crónicas do Mal de Amor

Já tinha ouvido falar de Elena Ferrante, a desconhecida Italiana que do seu anonimato perturbou o mundo da escrita.
Mas passaram uns meses até lhe pegar.
Pelo que me tinham dito esperavam-me momentos intensos, duros, precisava ter dentro de mim espaço para eles.

Este foi o primeiro livro dela que li: Crónicas do Mal de Amor, que reúne os seus 3 primeiros romances - terminado agora mesmo.

À cerca deste livro escrevi a alguém aqui há dias:

"Ao mesmo tempo que o vou lendo, avidamente, tenho a perfeita noção que me fere.
Como dizem os críticos literários (numa frase que geralmente me irrita por ser demasiado fácil e generalizada), é-me impossível ficar-lhe indiferente.
A crueza dos pensamentos, que nos aparecem sem filtros nem maquilhagens, os frémitos do corpo, os impulsos sádicos e vorazes, que mesmo não sendo agidos são retratados com tanta verdade.
Os livros dela de certa forma revelam o mais secreto de cada leitor (de mim), sem falsos pudores nem moralismos. Talvez por isso me doa lê-la.
Talvez por isso a quero ler, tudo!"


Mantenho tudo o que disse então.
Quero ler mais de Elena Ferrante.
Mas pelo meio preciso de ir buscar um qualquer outro livro, com mais inocência, com mais sonho, com mais esperança.

sábado, setembro 24, 2016

Há magia nos livros

0 h do dia 24 de Setembro

Momento esperado, contagem decrescente, borboletas no estomago.
É este o estado da menina Boop, 12 anos, a devorar livros do Harry Potter deste os 7. O que me fazia alguma confusão confesso, vê-la tão pequenina a embrenhar-se com tanto entusiasmo num livro "maior que ela". As dúvidas, de vocabulário, apareceram só nas primeiras paginas, depois... ela e o livro(s) ficaram inseparáveis!
Foi o 1º livro que a fez amar livros.

Como não leva-la ao lançamento ontem?!
E estava feliz!

E eu...
Não pude deixar de comprar um (outro) livro para mim também....
;)


segunda-feira, setembro 19, 2016

Parabéns para ti A.

Daqui
Eu podia ter ido beber água sozinha.
Tu também.
Tu podias não ter dito nada e partir sozinho.
Eu assim não teria partido.
Mas escolheste fazer de outra forma.
E o meu mundo ficou mais rico
Porque ao fazer juntos coisas simples temos um vislumbre único de algo belo.

Segues depois o teu caminho
Eu sigo o meu
Mais ricos os dois.