quarta-feira, dezembro 13, 2006

Na terra dos sonhos

Gosto em geral dos poemas do Jorge Palma.
Acho-os cheios de encanto, de uma capacidade de olhar para além de. Plenos de liberdade
Mas confesso que muitas vezes não gosto do arranjo musical! Ou então ainda não aprendi a ouvi-lo - acho que há certas coisas de que se tem/pode aprender a gostar!
(sei lá - aconteceu-me isso com a cerveja e o vinho tinto! :) )

Já aqui publiquei a música que mais gosto do Jorge Palma - correcção - o poema que mais gosto.
(como é que se faz um link para uma coisa já publicada??? Aguém me explica?!?!)

Hoje segue outro!:


Na Terra dos Sonhos

Andava eu sem ter onde cair vivo
Fui procurar abrigo nas frases estudadas do senhor doutor
Ai de mim não era nada daquilo que eu queria
Ninguém se compreendia e eu vi que a coisa ia de mal a pior

Na terra dos sonhos, podes ser quem tu és, ninguém te leva a mal
Na terra dos sonhos toda a gente trata a gente toda por igual
Na terra dos sonhos não há pó nas entrelinhas, ninguém se pode enganar
Abre bem os olhos, escuta bem o coração, se é que queres ir para lá morar


Andava eu sózinho a tremer de frio
Fui procurar calor e ternura nos braços de uma mulher
Mas esqueci-me de lhe dar também um pouco de atenção
E a minha solidão não me largou da mão nem um minuto sequer

Se queres ver o Mundo inteiro à tua altura
Tens de olhar para fora, sem esqueceres que dentro é que é o teu lugar
E se às duas por três vires que perdeste o balanço
Não penses em descanso, está ao teu alcance, tens de o reencontrar


Rui Malheiro e Tiago Leitão

16 comentários:

anjoedemonio disse...

"Na terra dos sonhos, podes ser quem tu és, ninguém te leva a mal"

sabia-me tão bem esta terra dos sonhos, agora!!!!!

Lúcia disse...

não gosto do Jorge Palma. A música é monótona, para mim!

Francisco disse...

eu tambem tenho alguma dificuldade em lidar com ele...mas aprecio ás vezes a posturo e a irreverencia.

mfc disse...

Tinhas que gostar de maduro tinto... és cá das minhas!

Irritadinha disse...

Ora viva!
Bem como amanhã vou para o meu exilio, venho aqui fazer os meus utlimos votos de feliz natal e excelente ano novo!
Até para o ano!

sofia disse...

... na terra dos sonhos queria estar... deixar de pensar e só... sonhar.

Lindo Poema!
bjs

sofia disse...

a de cima sou eu:
ontem não consegui comentar... e hoje, só assim
simplesmentestela24.blogspot.com

psique disse...

Cara Ines mais algo em comum... os poemas do jorge...

Fatyly disse...

Estou de acordo contigo, gosto de algumas letras e músicas e outras a bota não dá com a perdigota:):):):)

Anónimo disse...

é assim... não consigo comentar normalmente, nem sei porque, mas acho que o Jorge Palma tem coisas muito boas, mas também tem coisas menos boas; as boas sobrpõem-se
jnhs

Delfim Peixoto

Anónimo disse...

Muito lindo.
Bom gosto o teu.

Mais um post que vai seguir em anónimo, pois não consigo fazer o login.

marinheiroaguadoce a navegar

Anónimo disse...

Gosto de ti.
Lídia

Anónimo disse...

já agora... pq tenho tanta dificuldade em postar no teu blog? É por seres beta?

Ines disse...

Não sei anónimo...
Mas esta história da "betice"... NÃO SEI SE FOI BOA IDEIA!!!!

belzebu disse...

Em parte concordo contigo. Adoro os poemas do Jorge Palma, mas também gosto das composições. Fico é sempre com a sensação que não diz a bota com a perdigota! Ou seja, gosto separadamente.

Saudações infernais!

Anónimo disse...

E aquele poema, (que não sei o que ele quer transmitir), mas tem uma fantástica combinação de palavras: «Quando a janela se fecha e se transforma no ovo, ou se desfaz em estilhaços de céu azul e magenta / e o meu olhar tem razões que o coração não frquenta...por favor, diz-me quem és tu de novo». Estão a ver qual é a canção? Nesta é tudo bonito: a letra e a música.