quarta-feira, dezembro 12, 2007

Tertúlia - O Presépio no ano 2007 d.C.

Botticelli - Adoration

O presépio do ano 2007 d.C.
O que convocamos quando construímos o presépio nas nossas casas?
O que convocamos quando vamos admirar os presépios artísticos expostos nas igrejas e nos museus?
O que é convocado em nós, quando vemos os presépios que adornam as ruas e as montras das lojas nesta época natalícia?
Convocamos o nascimento do Menino Jesus da Igreja Cristã?
Convocamos a “unidade originária” com a sua tríada, mãe-pai-bebé?
Convocamos os Reis Magos, representantes dos sacerdotes, dos sábios astrólogos e dos eruditos das três raças humanas?
Convocamos as vicissitudes da vida que obrigaram Jesus a nascer numa manjedoura porque os seus pais tiveram de rumar a Belém para participar num recenseamento obrigatório da população romana e não encontraram alojamento em nenhuma hospedaria da cidade?
Convocamos a Yuletide, a antiga festa víquingue do solstício do Inverno que, quando o Sol se encontrava no seu ponto mais baixo e as noites nórdicas eram as mais longas do ano, celebrava, para agradar aos deuses Odin e Thor, o nascimento do Sol e o acordar, mais uma vez, da natureza no início do novo ano?
É sobre tudo isto e o mais que vier e o que a estrela nos guiar que vos convidamos a virem participar connosco nesta tertúlia natalícia.
Votos de Natal Feliz
Cumprimentos de Yuletide



Convidados:

Prof. Doutor Carlos Amaral Dias, Psicanalista
Doutora Deolinda Santos Costa, Psicoterapeuta
Prof. Doutor José Henrique Dias, Historiósofo

Dia 16 de Dezembro de 2007 às 18,00 horas

Local: Rua da Fábrica do Material de Guerra, nº1 (em frente aos Correios do Poço do Bispo).

ENTRADA LIVRE

Organizado pela Sociedade Portuguesa de Psicoterapia Psicanalítica







6 comentários:

Haddock disse...

mna. boop... estou para aqui a controlar-me para não partir o baloiço por mais este "asterisco"!!!
eu não monto presépios, oras!!
já nem musgo decente se encontra...
e a presença presepial convoca, no mínimo, a vontade de "ir ali e já volto"!
e não podias ter organizado uma tertúlia sobre filhozes e, especialmente, sonhos???? garanto-te que a essa iria, ainda para mais sendo de borla! até aceitava partilhar a minha experiência culinária e morfêutica...
volto com mais argumentarium depreciativo!

Anous Nimous disse...

Oh meu D...!Manél-d vai ao GêPê-éSe da lambreta e consulta se ha tascos no "poço do Bispo!
.-(blfff...blfff)
.-! Esquece! portagens para ouvir de presépios? ..nem pensar! Vamos à tertulia da árvore iluminada! Ao melhor temos a sorte de encontrar por lá o Capi!

marta r disse...

Eu também preferia a tertúlia da árvore iluminada... ou da mangueira luminosa na janela... ou do pai natal a trepar varandas...

mixtu disse...

não se de montar, muito menos presépios...

entrada livre? atão nan vou... sou de pagar, isso certamente deu trabalhjo logo deviam cobrar

ayayyaay

abrazo europeo

Fatyly disse...

Eu preferia que o tema fosse outros:
- a razão das ornamentações dantescas das ruas das cidades e da árvore de ferro numa disputa LisboaXPorto aonde já se juntaram outros concelhos tal como o de Sintra. As aldeias engalanavam-se numa tradição, mas hoje o gasto energético pelas ruas é de bradar aos céus, para não falar
- a razão do fogo de artificio cujo dinheiro gasto pelas câmaras deveria reverter para outros gastos bem mais necessários e que ocorrem durante o ano.

Gosto de ver presépios, mas o que me leva a ver é simplesmente a imaginação e o trabalho artesanal de muitos.

Jesus Cristo está no sem abrigo que se tropeça nele sem dó nem piedade.
Jesus Cristo está na justiça mais injustiçada deste país
Jesus Cristo está...

Alinho mais nas tertúlias no presente do que baseado na história do passado.

Beijos e que tudo corra pelo melhor

Dias disse...

Congregamos toda a vivencia antepassada nos rituas modernos. É natural que assim seja, e é assim vai continuar a ser.

Presepios e Papai Noeis são modas de 2 ou 3 gerações, depois vêm outras coisas, outros Natais, ou Reis, ou Solesticios, ou Deuses, ou Demonios, ou o que mais precisarmos de celebrar.

Deve ter sido uma tertulia interessante.

Beijo