segunda-feira, julho 27, 2015

O Jantar III

O Jantar I   O Jantar II

Ela queria ligar para ele mas não podia.
Há meses que não falam.
Escreve-lhe de tempos a tempos sem esperar resposta.
Diz-lhe de si, sem filtros nem reservas.

Acredita que ele sabe porquê.
Que não porá ninguém no lugar dele.
Não acredita em substituições.
Não quer troca-lo por outro - seria mais fácil talvez.

Sentirá até ao fim o que tiver para sentir.
Enquanto a vida continua
Mas é esta a sua verdade.
O que é dele não será dado a mais ninguém.
          ____________

E o Sérgio vai lendo a Rita...





3 comentários:

Fatyly disse...

até ao dia em que ela estiver completamente curada...o tal assentar de cinzas depois da derrocada.

Foi isto que percebi, mas não sei sinceramente se estarei certa...porque a frase final desconstrói tudo!

Beijocas

Boop disse...

Ehehe
Pois não sei Fatyly,
As minhas personagens na verdade não me pertencem. Têm vida própria. Eu só "tiro fotografias" do aqui e agora.
Eu própria tenho alguma curiosidade...
;)

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Boop.
A personagem deste seu enredo deveria, segundo minha humilde opinião kkkkk, tomar noção de sua própria importância como mulher e pessoa e, colocar o dito Sérgio no seu devido lugar, que, não deveria nunca ser perto do coração dela ;)
E disse.
bj amg