quinta-feira, setembro 08, 2016

E num salto...

"Bungee Jumping" - Carlos Farinha

Foram poucas as vezes na vida em que as coisas estiveram tão claras.
"Faço ou não faço?"
A decisão estava só na mão dela.
Sim, ou não!
De alguma forma sabia que ia tomar a decisão correcta embora não soubesse ainda qual seria.
A decisão foi tomada, e na base dela - pura intuição!
Era algo que não podía deixar escapar.
Qualquer tentativa de o explicar a alguém seria infrutífera, seria redutor.
A sensação de ser algo de único, de irrepetivel, gritava dentro dela.
Não passou pela razão.
Não lhe peçam para se explicar.

E de olhos bem abertos, saltou!

3 comentários:

Fatyly disse...

Pois...e poderá ter várias leituras, mas veio à minha ideia uma palavra bem pesada que poucos verbalizam mas que muitos o fazem sem dar qualquer sinal: suicídio!

Beijocas

Boop disse...

Sim Fatyly... é uma leitura possivel. Mas que não estava na minha cabeça.
Pensei nas encruzilhadas do caminho, nos desafios, no que perdemos por vezes apenas por ser desconhecido.
Nas decisões que vão contra a maioria ou o expectável.
Até no amor.

Mas a tua leitura é possível sim.
A decisão solitária, a vertigem do "salto"

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Boop.
Às vezes, não todas (digo e penso eu), mas as há em que valerá bem a pena seguir a intuição, sem grandes contas, sem grandes cuidados: saltar e... viver o novo. Saborear, desfrutar da liberdade da emoção à flor da pele, sem contenções.
Vê-se bem que ando a sentir uma vontade louca de... saltar.
E logo eu, dada a vertigens.
=)

bjn amg