quarta-feira, maio 31, 2017

Como crescem....



O meu mais pequeno faz hoje 9 anos.

O meu mais pequeno é cada vez menos pequeno.

O meu mais pequeno diz que um dia quer ser pintor.

O meu mais pequeno é um menino doce.

O meu mais pequeno é malandro.

O meu mais pequeno tem uma voz forte, bonita.

O meu mais pequeno tem olhos da
cor do mar.

O meu mais pequeno diz coisas que me encantam e surpreendem.

O meu mais pequeno traduz os seus sonhos e  fantasmas em desenhos fantásticos.

O meu mais pequeno adora matemática.

O meu mais pequeno faz fotografia como eu nunca fui capaz.

O meu mais pequeno ainda gosta do meu colo

O meu mais pequeno é meu.

O meu mais pequeno é cada dia menos meu.





(desenhos feitos pelo P no início dos seus 7 anos)




6 comentários:

Calíope disse...

Muitos parabéns! :) (os desenhos são super giros e nada infantis)

Fatyly disse...

Já???????? xiiii estou mesmo velha:)))

Parabéns aos papás e para ele um grande abraço porque são raros os que gostam de beijos e xicorações:)))) Diz-lhe que gosto mais do terceiro desenho.

Boop disse...

Caliope, sou suspeita... Mas adoro os desenhos dele!!!
O 1º é estilo Tim Burton! ;)
Um dark christmas
O 2º é um dos meus preferidos de sempre. Fê-lo com 6 anos.
Parece-me uma cena de hard rock. Ao mesmo tempo forte, agressivo e saído de uma criança tão doce.
Espero que arranje pela vida fora formas assim criativas para se desintoxicar dos afectos mais difíceis.
Não tenho este desenho :( - ofereceu-o a um estagiário belga com quem criou uma óptima relação à volta da arte. Ainda hoje de vez em quando se lembra do Damien
O 3º é mais harmonioso.
Gosto da escolha das formas e das cores!

As coisas não lhe "saem tão bem" qdo tenta fazer os desenhos típicos da idade dele.

Boop disse...

Fatyly,
É verdade...
Os anos passam e nem nos apercebemos há quanto tempo andamos por aqui e vamos acompanhando a vida de uns e de outros...
:)

O P precisa de tempo e empenho para estes desenhos. Em casa é tudo à pressa, para brincar. Na escola dedica-se!
Tenho a sorte (bem, sorte é relativa uma vez que fui eu que escolhi a escola) de terem os dois estado (ele ainda está) numa escola que valoriza muito todas as formas de expressão. São miúdos seremos, com bom vocabulário, a saberem apresentar argumentos, a saberem estar.
Ela mais o dom da palavra (envergonhada sempre que as professoras de português lêm as composições dos testes dela em voz alta - é recorrente... Seja qual for o ano escolar ou o professor...)
Ele a desenhar e a pintar.

Pronto!
Já babei o suficiente!

De resto são as pestinhas que todas as crianças são!
:))))

AC disse...

Chiça, o P é daquelas criaturas que parece ter a arte de tal modo entranhada que a respira através da pele. Pois é, mãe babada, agora há todo um trabalho a fazer, respeitando as etapas, mas sob a máxima: 10% de inspiração, 90% de transpiração.
As maiores venturas para o P!

Boop disse...

Por enquanto deixo-o ser criança apenas (mas com aula de desenho extra uma vez por semana, vá... só por que ele a quer!)
Há tempos fomos ao atelier do Carlos Farinha,cujos quadros uso muitas vezes para ilustrar as minhas histórias, adorou! Ver onde e como trabalha um pintor a sério!
O P... tem a vida toda pela frente.
Só desejo que saiba fazer boas escolhas.