sábado, junho 17, 2017

Porque me caiu bem!

Royce Gracie, Lisboa, 17/06/2017
(foto minha)
Hoje houve cerimónia de graduação e aula com o Mestre Royce Gracie.

Este tipo, profissional de artes marciais, praticante de Jui-Jitsu (faixa preta, 6º grau) e MMA (Mixed Martials Arts), com varias vitórias nos campeonatos de Vale-tudo mundiais, deve ser quando quer uma arma destruidora.

Mas também é de uma simplicidade, humildade e proximidade com os miúdos que os faz perceber que são como ele. Praticantes de uma arte, em permanente evolução - estarão um pouco mais atras... é isso!
(E sim, isso surpreende-me um pouco porque tem o seu quê de brutamontes e aspecto letal!)

Será isso ser professor...
Saber colocar-se perto dos seus alunos, e ajuda-los a dar o passo que se segue no seu percurso.
Independentemente das conquistas que se fizeram já em nome individual.

Para os miúdos foi óptimo tê-lo cá.


2 comentários:

AC disse...

Ser professor...
Que questão levantas, Boop! Gosto de pensar que um bom professor é aquele que acompanha, de uma forma global, o desenvolvimento dos seus alunos, de forma a que cada um descubra o seu próprio caminho. Desde que seja verdadeiramente assumida, é uma responsabilidade e tanto!

Uma boa semana :)

Boop disse...

Sim AC
É assim que gosto de pensar o ensino (mesmo sabendo que muitas vezes outros valores se levantam).
É tão bom quando um professor sabe despertar a curiosidade, a vontade de ir mais além, o desejo ultrapassar limitações e descobrir novos percursos - o percurso idiossincrático de cada um para chegar o mais longe que for capaz de sonhar.
Não sublinhando a falha mas sim a conquista e a descoberta.
Que hajam muitos assim!