quarta-feira, julho 12, 2017

Duetos improváveis


Corações de Atum + Sophia de Mello Breyner Andresen

Hoje pareceu-me que iam bem juntos!
:)




CHAMO-TE
Sophia de Mello Breyner Andresen

Chamo-Te porque tudo está ainda no princípio
E suportar é o tempo mais comprido.

Peço-Te que venhas e me dês a liberdade,
Que um só dos teus olhares me purifique e acabe.

Há muitas coisas que eu quero ver.

Peço-Te que sejas o presente.
Peço-Te que inundes tudo.
E que o teu reino antes do tempo venha.
E se derrame sobre a Terra
Em primavera feroz pricipitado

3 comentários:

Fatyly disse...

Conjugaste bem...e este poema é para além do maravilhoso!

Beijocas

Boop disse...

Um poema místico.
Sempre achei delicioso o quão amoroso e erótico pode ser um poema dirigido a Deus.

Fui agora buscar este de Santa Teresa de Ávila

Entreguei-me toda, e assim
Os corações se hão trocado:
Meu Amado é para mim,
E eu sou para meu Amado.
Quando o doce Caçador
Me atingiu com sua seta,
Nos meigos braços do Amor
Minh’alma aninhou-se, quieta.
E a vida em outra, seleta,
Totalmente se há trocado:
Meu Amado é para mim,
E eu sou para meu Amado.
Era aquela seta eleita
Ervada em sucos de amor,
E minha alma ficou feita
Uma com o seu Criador.
Já não quero eu outro amor,
Que a Deus me tenho entregado:
Meu Amado é para mim,
E eu sou para meu Amado.

Fatyly disse...

Também já conhecia mas adorei voltar a reler. É de facto "cheio de tudo".

Beijocas e obrigado