segunda-feira, outubro 01, 2007

Por dentro

Queria que alguém espreitasse para dentro da minha alma e me dissesse o que vê.


Magritte - La Reproduction Interdit, 1937

19 comentários:

Dias disse...

Nunca ninguém verá melhor que o proprio, mas existe quem seja capaz de ajudar o proprio a ver-se melhor.

Magritte - muy bom.

Beijo

Haddock disse...

eu agradeço que não espreitem a minha, por causa da timidez...

mas concordo com o dias, por vezes um intérprete de fora ajuda.

e acho que o tal cruzeiro vai fazer-te bem!! ;)

A estranha disse...

Estou a espreitar... Depois digo-te! ;)

Beijocas

Lúcia disse...

ooops, eu não.
não consigo espreitar-me a mim, quanto mais aos outros.

inês disse...

e depois se não gostasses do que vias?

deixa-te estar assim!

Fatyly disse...

Apenas pela escrita, eu vejo " uma mulher convicta e sensível, que se impõe ternamente numa sociedade de tantos fantasmas, que caí e tropeça mas que rapidamente procura de novo... o seu lugar ao sol".

Beijocas

Anita disse...

Acho que poderia assinar este teu post...todos estes últimos dias...


Mas tenho a certeza de qe iria gostar de te espreitar!!!... =D

Beijinho*

mixtu disse...

nem blimunda o conseguia ver...

abrazo europeo

mfc disse...

Ficaríamos corados!

Eu disse...

Eu já ouvi dizer que há aí uma malta que faz isso para ganhar a vida, chamam-se...psicólogos! é isso

;))

Lídia disse...

... tarefa árdua.

Rui disse...

Nesse sítio, cada um vê o que quer. E ninguém sabe o que viu.

1entre1000's disse...

adoro esta tela!!! simplesmente adoro magritte!!!

Aragana disse...

Ui.. pera lá... eu nao queris! Isso é assim tipo cartomante... eu lá quero sabe ro meu futuro! Ia estragar a coisa toda.

Passamos a vida inteira a tentarmos saber quem somos... o que fazemos aquiiiiiiii

Nepias... tirava a piada

mixtu disse...

blimunda antes ed comer o pão viu-te, só não te tirou a vontade para a passarola

abrazo europeo

D. Maria e o Coelhinho disse...

n�o � bem transparente... � esbranqui�ada, l� isso �. mas dum branco "p�te de verre", leitoso e vidrado...

Lapa disse...

De profundis.

Anous Nimous disse...

mmm... ora! a alma.
Apresentasse sempre qual bloco de folhas prístinas e limpas. Inmaculadas.
Mesmas onde, por vezes, nem nos atrevemos a escrever.
Sempre com aquela sensação de que não deveriamos sequer espreitar; abrir o bloco.
Até, que abrimos os olhos, acordamos e começamos a rabiscar ou até escrever nelas.
Então, curiosamente, folhamos para atrás e descobrimos a alma a espreitarnos a nós.

croqui disse...

rené magritte, o meu pintor surrealista preferido!