quarta-feira, setembro 03, 2014

Não sei escrever

Hoje queria saber escrever!
Eu explico.
Queria saber encontrar as palavras certas, que traduzissem claramente o que sinto e que servissem de depositário.
Que através delas me livrasse da intensidade e que com esse maior distanciamento me permitisse pensar e agir. (Mas só consigo falar da impotência de não conseguir fazê-lo.)
A escrita como elemento catártico só por si….
Seria fantástico!

Mas sou completamente ordinária aí.
Vou ter de ser paciente comigo.
Tolerar o "desarranjo"

(são angústias que vêm com a maternidade… hoje é mais um dia destes!)



4 comentários:

Ana Ricardo disse...

Eu sinto que me falta um passo (que não sei ainda qual é) na escrita para que seja totalmente catártico. Queria tanto mas tanto despejar os sentimentos na escrita e livrar-me deles :)Dava um jeitaço!

GL disse...

Dores, quantas vezes inevitáveis por fazerem parte do crescimento, seja em que idade for.
Ainda que funcionem como ensinamento, como aprendizagem de vida, é sempre doloroso assistir/viver ao sofrimento de um filho. Cabe á mãe ser o suporte, o porto de abrigo, o colo, o aconchego.
Há situações em que as palavras são desnecessárias, mais importante é a sabedoria (tão difícil!) de saber lidar com a situação.
Força, Boop. Seja qual for a causa dessa angústia espero que rapidamente seja ultrapassada.
Abraço.

Fatyly disse...

Pois...como te compreendo tão bem e outras virão ó se virão. Escrever ou verbalizar fica tão difícil e respira fundo porque...bem sabes porque...

Uma beijoca sincera

mfc disse...

As dores fazem parte, infelizmente do nosso percurso.

Um beijo