quarta-feira, setembro 17, 2014

Podemos mudar o mundo

...ou uma viagem ao que se passa num consultório psi...


VLADIMIR KUSH

Quem me dera poder transmitir-te a magia...
Uma magia que nasce por dentro quando numa centelha de tempo nos apercebemos que podemos mudar o mundo.
Não, não é do Mundo que falo, é do meu mundo (e tu estás nele!).
É uma certeza fugaz! Intensa e fugidia! Mas nesses breves momentos em que imagino que posso ser diferente, o mundo como que se desenha de outra forma.
E tu... Seria tão mais fácil falar contigo!
Sabes como consegui?
Sonhar-me diferente?
Foi entre 4 paredes, porque me consegui mostrar, reencontrar, redescobrir, a uma pessoa que ao mesmo tempo me é tão estranha/desconhecida, como próxima, atenta e carinhosa.
Sim, tive medo! Mas descobri que ali há espaço para uma nova linguagem. Novas palavras, novos afetos. Ali perdi o medo, de me olhar a mim própria com verdade - porque não estava sozinha.
Se eu pudesse falar-te... Mas não sei ainda as palavras certas!
Como foi importante poder ser aquilo que genuinamente sou dentro daquelas 4 paredes. Sabes, é que ela não esperava nada de mim! Não contava com o velho "eu" tão carregado pela expectativa do outro, por relações viciadas, pelo "já sei que tu és assim!"
Ela nunca me viu na rua, nunca me viu com os meus amigos, não conhece os meus pais. Não conhece o meu olhar alheado quando preciso de desligar, nem o riso forçado para não me sentir excluída. Nem tão pouco a minha expressão de menina quando me recolho no teu abraço. Mas consegue ver-me!
Não sei explicar-te!
Aguenta-me na minha verdade!
E acredita que sou capaz!

A minha frustração… é não poder levar-te comigo. Não conseguir que cresças comigo.
Queria que percebesses a magia!


7 comentários:

Ana Ricardo disse...

Como te percebo! Não há maior liberdade para o ser humano do que poder ser totalmente transparente e mesmo assim ser aceite, respeitado e amado. Isso é do mais difícil de conseguir. E tenho conhecido pessoas que fogem disso como o diabo da cruz, quando o que eu mais quero é voltar a ter isso na minha vida sem ter de ser dentro das 4 paredes especiais.

Boop disse...

Tens razão!
As 4 paredes especiais não servirão para nada se não poderem passar a ser desnecessárias!
TÈM de ser uma transição, se não lá se vai a liberdade!

Fatyly disse...

O despir do nosso "eu" é tão difícil, mas tão difícil sobretudo entre "quatro paredes" perante alguém que é de todo desconhecido...mas talvez num jardim, num lugar mais aprazível acho que marcaria toda a diferença.
Tratando-se de crianças e ou pré-adolescentes e até adolescentes (afinal onde começa e termina a adolescência de cada um???) a "coisa" vira monstro e pescar/cativar/aceitar poucos profissionais o conseguem fazer, mas felizmente existem...

Mas é o que eu acho, é o que eu sinto, é o que eu vejo...e como filha, mãe e avó, ó meu deus...tantas vezes que fui ao encontro dos olhos, de olhares (o olhar diz-me tudo) e ajudei ponde a mão na ferida. Agora 4 paredes...não pf...e são aos milhares!

Não sei se disse alguma asneira e ou se me fiz entender!

Beijinhos garota linda e outros tantos à tua prole:)

Boop disse...

Disparate nenhum Fatyly.
(digo eu… :) )
As relações psicoterapeuticas têm de funcionar, se não não adiantam. E claro que nem todas funcionam!

E as quatro paredes não são claustrofobicas, abrem-se ali tantas janelas e tantas portas! Num ambiente seguro, como que num ensaio, para depois se partir para o mundo, para as relações do dia a dia, para os confrontos, as paixões, as amizades, as ternuras, as zangas…
A vida é feita lá fora!
Mas às vezes acontece magia lá dentro!
;)

Francis disse...

Intenso. Quase que percebi a magia, Tia.
:)

mfc disse...

Um texto intimista e lindo... lindo... lindo!
Beijinhos.

Anita disse...

Sinto-me estudar a matéria. Não, não só, claro. É um testemunho na primeira pessoa, do lado de lá e do de cá ao mesmo tempo, de como a relação funciona. De como vale a pena.
E de como somos abertos e invisíveis ao mesmo tempo. Invisíveis para quem não sabe...ver. Daí, também, a importância da comunicação!
Não é todos os dias...
Obrigada. :)
Gosto muito!