segunda-feira, fevereiro 02, 2015

Pensamentos secretos

Gasto! Sinto-me gasto!
As noites insones, as preocupações, o tr.abalho, sempre o t.rabalho!
Fumo em demasia.
E estou cansado desta porra! Não quero ser este gajo.

Deixa-me começar outra vez!
Quero-te. (era isto que devia dizer-te!)
Eu sei que devias preferir ouvir “amo-te”, ou qualquer coisa parecida. Mas a verdade é que te quero! E agora estou a marimbar-me para o que tu precisas ouvir. Quero-te!
É isso, entendes-me!?
Quero-te! Ocupas a minha cabeça nos poucos intervalos que tenho, construo cenários onde vou ter contigo e sem palavras te arrebato. Não sei que dizer-te, caramba! Nem sei sequer se quero falar contigo. As palavras que imagino dizer-te, são as sussurradas ao teu ouvido se te tivesse nos meus braços, quais braços... no meu corpo, na minha pele.
E não durmo... 
Passam horas difusas de desejo e frustração. Dormito para ser assaltado por sonhos desconcertantes, onde o t.rabalho se mistura contigo e invariavelmente acabo num beco sem saída.
Devia dizer-te que te quero.
Estar ao pé de ti é tramado.
As muitas preocupações que tenho de tarefas, solicitações, prazos, clientes, ficam finalmente relativizadas e essa parte da minha cabeça sossega momentaneamente.
Mas é tortura.
Miúda, se eu te pusesse as mãos em cima...!


E tu aproximas-te de mim, com o teu ar completamente blasé, e perguntas desinteressadamente pelo que tenho feito, se tenho suspendido o t.rabalho e tido tempo para sair e divertir-me, que a vida é mais que isto.
Não tenho outra resposta possível.
Enquanto cá dentro penso em puxar-te para mim ou encostar-te contra a parede com o peso do meu corpo e dizer-te ao ouvido “quero-te!”
Digo sempre, num tom indiferente e distante: “Vai dando para o gasto.”

2 comentários:

Fatyly disse...

Dura realidade de muitos e muitas cujo trabalho passou a uma dura saca de penitência..."t.rabalho..."e fiquei sem palavras!!!

Beijos e uma boa tarde

Ana Ricardo disse...

Belíssimo! :) Sente-se o que escreves.