quinta-feira, junho 11, 2015

Beethoven Piano Concerto No. 5 in E-flat major, Op. 73 Adagio Un Poco Mosso



Tanta beleza...
A música tinha o dom de intensificar o que ela sentia. Tanto que às vezes lhe fugia. Acontecia, durante os dias em que não queria entrar em contacto com afectos difíceis, se recusar a ouvir uma nota que fosse! Sentia que a música a traduzia, a deixava a nu. E havia coisas que nem a si própria queria mostrar.
Mas....
Quando se sentava ao piano, os dedos corriam livres no marfim. E dava por ela a rir, ou a chorar. Serena ou em tumulto,. Era a sua verdade exposta.

E depois havia a outra música, a partilhada a dois... O pedir emprestadas as palavras musicadas em vozes firmes, conjugadas com a força única da poesia, E ficar acompanhada noite dentro.

(e aqui fica, mais uma vez, o meu encanto - raiado de uma pequena inveja - para com quem respira música)

3 comentários:

FireHead disse...

E nada como Beethoven. Uma excelente escolha!

Beijinhos e bom fim-de-semana! :)

GL disse...

A música tem o dom de apaziguar, por isso é tão importante na vida de todos nós.
Bom Domingo.
Beijinho

Fatyly disse...

Mais um post maravilhoso! Adorei!

Beijocas e bom domingo