sexta-feira, julho 10, 2015

Casamentos e funerais

Há ocasioes em que se encontram pessoas que já não se via há muito tempo.
Ontem cruzei-me com pessoas que não via há uns... 30 anos? (Menos talvez... 25?)
Às tantas alguém me diz "olha a I! Estás tão crescida!"

"Estás tão crescida"?!?!
Sorri

Com 42 anos estamos crescidos sim...
Há mais de 20 anos não me diziam isso.
Mas foi espontâneo. Sentido.
O constatar de um tempo que passou.

Lembram-se da forma como em crianças olhavamos para os adultos? Tão crescidos, resolvidos, seguros, sábios, eram um poço de certezas!
Depois tornamo-nos "um deles" e às tantas percebemos que a idade não conta para nada. Que há medos que permanecem, dúvidas, etc... etc... Ficamos todos "adultos". E não deixamos por isso de ter momentos serenos e seguros. Mas já não há um "nós" é um "eles".

Digo-vos:
É delicioso reencontrar esse lugar de menina, e contarem-nos com ternura a forma como brincavam connosco. Como eu gostava que me fizessem dar cambalhotas, como corria de sorriso aberto para  abraço de "um crescido"
Ontem fomos "iguais", mas com a inocência de há muitos anos.

(A sentir-me agradecida)

2 comentários:

Fatyly disse...

Infelizmente é em "casamentos e baptizados" que se dão esses encontros. Digo-te Boop é algo que me tira do sério, sobretudo familiares que nunca quiseram saber e ou deixam-se de falar "enquanto ser vivo" e depois que partiu, aparecem com um ar de meter nojo. Só me dá vontade de lhes dar com um pano cheio de lixívia!

Gostei muito!

Beijocas e bom domingo

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Boop.
São, com certeza, sensações estranhas.
bj amg