sexta-feira, novembro 13, 2015

Companhia Maior

Ontem assisti à estreia de Força, pela Companhia Maior.

Não tenho (infelizmente?) hábito de ir ao teatro, e por isso não estou habituada aos tempos e ritmos das gentes que pisam os palcos.
Mas também por isso me deixo encantar. 
Foi o que aconteceu.

A força de corpos (com mais de 60 anos) - que às vezes se encontra na fragilidade.
A experiência estética.
Momentos belos.

E as vozes…
E os sons…

E o rever amigos, fora e em cima do palco!




Composta por intérpretes profissionais da área do teatro, da dança e da música, a Companhia Maior tem uma particularidade: os seus artistas têm mais de 60 anos. “Há uma generosidade que é absolutamente extraordinária, que só pode acontecer numa certa idade”, explica Luísa Taveira, mentora deste projecto e directora artística da Companhia Nacional de Bailado.

Depois de ver e se deixar comover pela inglesa Company of Elders, Luísa Taveira propôs uma iniciativa semelhante para Portugal. O Centro Cultural de Belém apoiou e, em 2010, nasceu a Companhia Maior.

A Companhia Maior trabalha sempre com encenadores e coreógrafos diferentes. E conta já com grandes espectáculos no seu historial: A Bela Adormecida, encenada por Tiago Rodrigues; Maior, da coreógrafa Clara Andermatt; e Iluminações, dirigido por Mónica Calle, e outros… "Um de nós" "Estalo Novo" "A visita da velha senhora", ...



Saber mais sobre a Companhia Maior  AQUI 

1 comentário:

Fatyly disse...

Há dias deram uma grande reportagem sobre esta "obra magnífica" e gostei imenso de ter visto o que vi e ouvi, porque havendo força de vontade, a idade não é impeditiva de nada. Uma das muitas vezes que ia ao hospital de visita, dei com um senhor, acamado, muito mal, lúcido que quando me abeirei para o cumprimentar, cantou, cantou e encantou quem o ouviu.

Beijos e um bom dia