domingo, dezembro 20, 2015

Porque não gosto dos estandartes de Natal

É que não gosto mesmo disto, pá!
Aqui há uns anos, próximo do Natal, as ruas das nossas cidades, vilas e aldeias foram invadidas por estandartes com a figura de um menino Jesus. Consta que a ideia foi apadrinhada por um grupo de católicos cansados do protagonismo do pai-natal…
Objectivo: recolocar o Natal no seu devido lugar.
E parece que vieram para ficar.

Não gosto!
É que não gosto mesmo!
E não é uma questão estética - aí os gostos não se discutem!

É o que nos traz.
Um menino sozinho.

Diz-se à boca cheia, em qualquer canto beato-cristão, por mais recôndito que seja, do nosso país que o Natal é a festa da família.
Que temos na família de Belém o exemplo de família amantíssima, livre de pecado e de conflito que deve ser olhado como modelo a seguir. O amor dedicado a um bebê que nasce, independentemente do berço, o que é sonhado e valorizado, a quem é oferecido o que de melhor se tem.
Digam-me de que serve o bebê sozinho?
Símbolo da omnipotência desmedida de que se valerá sozinho  a si próprio.

Diz-se e/ou pratica-se também, em qualquer lar ateu, o encontro com os demais com quem se partilham heranças genéticas.

Natal é família sim!
Mesmo que cheia de emoções, conflitos, agressividades, sexualidade.
Sim porque o dogma da virgindade foi instituído no séc VI ou VII, por interesse da igreja.
Moralidades úteis.... Para alguns propósitos...
Não há maior visibilidade para a sexualidade de um casal do que uma barriga gravidica.
(Irei ser acusada de eresia pelos meus amigos católicos - paciência!)

Família é isto tudo
Juntá-la em festejos também!
É sentar à mesma mesa os conflitos e tensões lado a lado com a esperança/desejo de que haja ainda e renovado esse lugar para o encontro, para o amor, para receber as particularidades de cada um de braços abertos, e tentar dar o nosso melhor.

Um menino sozinho não vale de nada!
Cada um de nós sozinho.... sentirá que vale muito pouco.

4 comentários:

Fatyly disse...

Subscrevo inteiramente e além de sozinho é feio, mas com isso a Igreja tem ganho milhares de euros. Se ainda pusessem a Sagrada Família enfim...mas não gosto e já disse isso aos que puseram.

Bom domingo

Beijocas

GL disse...

Boop, o que vou dizer pode parecer muito mauzinho, mas é o que sinto.
Pensa que há muitas pessoas que vejam a família tal como a descreve? É assim, de facto, ou melhor, deveria ser, mas será?
O estandarte com o menino é fruto de uma moda, trazida sabe-se lá por quem, e que "pegou".
Somos como que uma esponja que absorve tudo, e depois dá nisto.

Bom Natal, com o Presépio completo.
Um 2016 com tudo de bom.
Beijinho.

GL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Margarida Belchior disse...

Concordo contigo!
Bem que podiam ter escolhido uma imagem mais bonita de Natal, do presépio, de Amor, ... para combater o consumismo atual do Natal, com o qual o Pai Natal, que nos chegou por uma campanha publicitária da Coca-Cola, terá pouco a ver, na senda do São Nicolau dos cristão do norte da Europa. Aliás, tal como a árvore de Natal e as suas luzinhas não poderiam simbolizar melhor uma festa de Luz e de Vida, no solstício de inverno.

Respeito quem queira mostrar assim a "família alargada" de que faz parte. A mim não me entusiasmada absolutamente nada, bem pelo contrário.

Beijinhos e muito Boas Festas.
:-)