quinta-feira, abril 07, 2016

The leader (eu chamaria alicerces!) :)

The Leader, Carlos Farinha, 120 x 60 cm, 2016
Olha, estou aqui!
Estás a olhar para o tipo dos binóculos, não é?
Deixa estar…. olha!

Mas eu não sou ele.
Estás a ver aquele braço mais branco no intervalo das nuvens? É da miúda que estava encaixada nos meus ombros - estava assustada ela, achava que ia cair, passei o tempo todo a tranquiliza-la "eu seguro-te!" Nunca mais a vi. Nem consegues perceber a minha idade, na verdade quase nem se vê o meu corpo.
Mas acredita - estava lá!

O tipo dos binóculos...
Gosto muito do tipo dos binóculos!
Aliás por causa dele é que estava ali.
Estava a passar um mau bocado ele.
E houve um gajo que conseguiu uma cena brilhante!
Chamou a malta toda.
O tipo nem sabia que tinha tantos amigos.
Estava acagaçado, a vida parecia-lhe uma tempestade pegada.
A gente dizia-lhe que não, que havia cenas fixes, Que bebesse uns copos, olhasse para umas miúdas giras, que ouvisse boa música, que fosse apanhar ar. Mas nada!
Então esse gajo chamou-nos todos para mostrar ao tipo que ele era capaz!
Tremia como varas verdes. Mas não podia desistir com tantos braços (e pernas e cabeças, e vontades - nem eu sabia que magia tinham corpos estranhos enredados, que deixaram de ser corpos para se tornarem tronco).
E o tipo subiu - se tropeçou? Claro, pá! Mas a malta ajudou.

E havias de vê-lo quando lá chegou a cima! Estava cansado! Nem percebeu logo que tinha parado de chover. E a malta ficou toda tão contente! Por ele, para ele (e por nós vá - que isto também me fez bem ao Ego).

E sabes quem é que desapareceu sem deixar rasto (e para mim quem conseguiu fazer esta cena toda)?
O gajo que nos chamou e o fez subir.
Qual é que ele é?
Pois... esse gajo não ficou no retrato.




1 comentário:

Fatyly disse...

Nada nem ninguém consegue o quer que seja...sem construir primeiro os seus próprios "alicerces" porque quem o faz à custa de outros e são muitos, ó se são...quase sempre tombam e desaparecem!

Gostei muito.

Beijocas e um Bom domingo