segunda-feira, junho 05, 2017

Lobisomens e luas cheias

 


(E assim termina esta história - Episódio 1, Episódio 2)

Episódio 3

Maria entra no carro, e sem saber porquê sente o corpo aceso, como se tivesse ligado a caldeira e toda a sua pele irradiasse calor.
Abílio olha para a Maria de sorriso aberto, na verdade são os seus olhos que mais sorriem, e de repente todos os pensamentos que o acompanhavam como que desaparecem.
Mal sabem, os dois, o quão inesperado é para cada um a forma como se sentem nesse momento.

É a primeira vez que se encontram a sós.
Têm-se cruzado muitas vezes aqui e ali, afinal a terra é pequena, mandado uns piropos, uma vez ou outra um comentário mais malandro, mas sozinhos... Nunca tinham estado.
O desafio tinha surgido numa piadola no café sobre lobisomens e luas cheias.
"Qualquer dia levo-te à serra numa noite de lua cheia!" - disse-lhe ele
"Pode ser que tenha a sorte de conhecer um!" - retorquiu ela
...

Maria trazia conforme o combinado uma cesta.
Nela tinha acomodado uns pasteis de bacalhau, umas sandes de presunto, uma garrafa de vinho tinto e uns biscoitos de limão. Não tinha sido fácil decidir o que levar. Nem tinha a certeza de aquilo estar mesmo a acontecer.
Olhou para o banco de trás e viu que lá estava a manta, o Abílio tinha-se lembrado.

O carro fez o desvio para a estrada da serra
Pouco a pouco as luzes da aldeia ficaram para trás.
Fez-se silêncio no carro.
"Queres que ligue o rádio?"
"Não, não é preciso."
E a estrada transforma-se em caminho...

Nenhum tinha contado a ninguém.
Sentiam-se como adolescentes, cúmplices, envergonhados e entusiasmados.
Como que prevaricassem, mas não deviam nada a ninguém.
A lua acompanhou-os sábia e serena.
Fez as vezes de amiga e confidente.
E testemunhou uma noite memorável, sem lobisomens... Mas com um homem e uma mulher que começaram ali a sua história, com sabor a pasteis de bacalhau e beijos.



Sem comentários: