terça-feira, novembro 21, 2017

A Poesia Invadiu o Caos

Encontrei esta página - "A Poesia Invadiu o Caos".
Alguém anda a plantar poesia nas ruas.

:)





10 comentários:

Calíope disse...

Ooooohhhhh... :)

Boop disse...

Também achei!
;)

Francis disse...

https://www.facebook.com/accion.poetica.muros/?fref=pb&hc_location=profile_browser

Boop disse...

Obg Francis!
:)

Eros disse...

Se bem que poesia com hashtag, provoca-me alguma urticária... ;)

Boop disse...

Tem de haver espaço para tudo!
Gosto da ideia, aqui algo ingénua, de plantar poesia (mesmo que de não muito boa qualidade), para que alguém aí demore o olhar por uns segundos.
Mas percebo. A necessidade de gratificação narcisica, a procura de novos admiradores não cai tão bem!
Mas.. há espaço para tudo!

Eros disse...

Sim, há espaço para tudo, concordo em absoluto! Sou absolutamente contra o acto de silenciar gente. Mesmo os anormais, néscios e aberrantes. Porque ao darem-lhes um megafone, passo imediatamente a saber onde anda a estirpe e se preciso de passar para o outro lado da rua quando andam em parada.

Beijo, Boop! :)

Boop disse...

Eh lá!!
Ahahaha

Fatyly disse...

Onde vi este modo de "plantar poesia" foi quando vivi no Brasil. Assim como, havia e acho que continua a haver, um conceito de que o livro que lemos deve ter "vida" e deixam-no num banco de jardim, no metro e outros locais. Li vários dessa forma e como não "me pertencia" deixei-o noutros locais.

Também vi lá a decoração dos troncos das árvores com trabalhos em croché mas não me recordo da finalidade.

Portanto nós por cá vamos copiando e ou aceitando rituais que para mim são maravilhosos.

Beijocas e um bom domingo

Boop disse...

Sim, é verdade, vamos replicando ideias. Mesmo que às vezes pensemos que são originais.
Somos muitos milhões e poucos seremos realmente capazes de inovar.
Muitas vezes, na própria ciência vemos que há ideias e descobertas que surgem simultaneamente em várias cabeças.
Sabemos que a probabilidade de alguém já ter levado a cabo uma ideia que nos ocorre é muitíssimo elevada (quase inevitável) mas que não seja isso que nos impeça de sermos curiosos, criativos, e originais nas nossas idiossincrasias.
E se tomamos emprestada uma ideia que vimos algures... fazemos sempre à nossa maneira e por isso algo diferente.