sexta-feira, setembro 26, 2014

Skype

Carlos Farinha - SKYPE  2014
(porque este quadro exige em post!)

Amo-te!
Tão mais fácil escrever do que dizer.
Desde que estás longe repito-te esta palavra: amo-te, amo-te, meu amor, amorzinho.
Mas Amo-te!
Minha querida, pequenina, meu amor.

Mas escrever não me chega. Parece que nada me chega quando estás longe!
E caio na deliciosa tortura de te ver.
Um clic, um triiimmmm, e heis que apareces!
Quase posso tocar-te, adivinhar-te a textura da pele, dos lábios…
Nunca quis tanto os teus lábios
E oiço-te!
Às vezes confesso-te não atento ao que dizes. Deixo-me envolver pela tua voz, o teu riso, e os teus olhos que me parecem tão vivos, tão próximos! Enredo-me na tua melodia que me enfeitiça.

Tu estás longe e eu quero-te!
Quero-te meu amor, os teus lábios, os teus braços, o teu corpo.
Amo-te com um vidro de entremeio. Estranho e mágico que te traz perto e te reconhece longe.
Tortura porque no fim permaneço só! Um corpo inútil que não pode amar-te mas que te deseja meu amor!

Clic!
Triiimmmm!
Amo-te!

5 comentários:

Fatyly disse...

A melhor e a maior descrição sobre o "Skipe" que não tenho, mas sei que o longe torna-se tão perto e assim matam as saudades.

Gostei imenso.

Beijos

ps matta disse...

Magnífico! Simplesmente!

Francis disse...

:)

Til disse...

E ainda dizem que a distancia é uma cena relativa não é?

Ana Ricardo disse...

O skype é uma tortura... :P