sexta-feira, maio 29, 2015

Amor em tempos de Inverno*

* Este artigo faz parte de "O obscuro fio do desejo"  uma colectânea de textos de Carlos Amaral Dias recentemente editada.

Falar de amor em psicanalês não é fácil.
Falar de amor em qualquer língua não é fácil.
Li este texto há uns anos, e agora tive a oportunidade de o voltar a ler.
Partilho uns excertos

Nota: "Objecto" em psicanálise é "o outro" sobre o qual recaem os nossos afectos e vínculos


"O amor, sobretudo em tempos de frio, como o frio deixado pelo objecto ausente, deixa marcas e recordações na trama complexa da nossa existência. Sabemos que amamos no instante em que o amor se inicia, já que simplesmente amamos.
O que é o amor? Amar reinventa tudo o que nos cerca. Em primeiro lugar o desejo. Ama-se porque se ama. Ama-se o outro por via do sorriso, pelo som da voz, pelo olhar que nos marca.
Ama-se é certo, também para colocar em cena o desejo ou ama-se a doce ilusão que nos aliena do frio, que o outro a quem se ama tem o que finalmente nos faz falta. Afinal, tudo depende do lugar onde o amor se inscreve.
É quase impossivel falar de amor e, no entanto, fala-se de amor.
(…)
Será o amor verdade, ou haverá um amor verdadeiro? Amar implica a suposição de tocar a verdade, sendo que o amor verdadeiro, aquele que se inscreve na nossa condição, é sempre uma meia verdade (…) Ama-se para se encontrar uma verdade partida e para alimentar a esperança de que se irá encontrar toda a verdade.
(…)
Em tempos de frio, encontramos o objecto para nos aquecermos. Encontramos o objecto para nos encontrarmos."

8 comentários:

GL disse...

Para quê complicar?
Ama-se porque sim; ama-se porque se ama, se gosta, se admira, se quer.
Ama-se sem se saber porquê, para quê, ama-se, simplesmente!
Para quê complicar?!
Bom fim-de-semana.
Beijinho

Fatyly disse...

Realmente concordo com o comentário de "GL" complicam algo que cada um sente de uma forma única.

De qualquer forma gostei de ler e reler o poema de Camões:)

Beijocas e um bom sábado

GL disse...

Ah, mas sem dúvida, reler Camões é sempre um imenso prazer.:)
Beijinhos

Boop disse...

Não há como os poetas para falar de amor!!!
:)

GL disse...

Posso não concordar, Boop?
Há tantos, mestres no amor, mas tão desajeitados com a palavra!...
Bom Domingo.

Boop disse...

Podes pois!
Mas acho que na verdade não discordamos….
Não acho que para ser mestre no amor se o saiba dize-lo!
Mas se há quem sabe dizer o amor são os poetas, não os teóricos - filósofos, psicanalistas, e afins… esses, pedem a palavra emprestada aos poetas!
Não amam nem mais nem menos.
Quem sou eu para dizer quem o faz mais ou menos, melhor ou pior.
Falava só na tradução em palavras.
:)

GL disse...

Ok, vencida mas não convencida!:)
Psicanalistas a dizer o amor? Ui, Boop, que susto!... Esses não sabem mesmo, pobres deles!
Bom Domingo.
Beijinho

Boop disse...

GL…
sendo eu psicanalista fico sem saber o que dizer-te………..

;)

Beijinhos