segunda-feira, julho 25, 2016

Florbela

Se Tu Viesses Ver-me...


Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços, 
Quando a noite de manso se avizinha, 
E me prendesses toda nos teus braços... 

Quando me lembra: esse sabor que tinha 
A tua boca... o eco dos teus passos... 
O teu riso de fonte... os teus abraços... 
Os teus beijos... a tua mão na minha... 

Se tu viesses quando, linda e louca, 
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo 
E é de seda vermelha e canta e ri 

E é como um cravo ao sol a minha boca... 
Quando os olhos se me cerram de desejo... 
E os meus braços se estendem para ti... 

Florbela Espanca, in "Charneca em Flor" 

3 comentários:

Poções de Arte disse...

Florbela... li muito...
E ainda me agrada!

Abraços esmagadores e feliz dia.
Márcia.

Fatyly disse...

Gosto de muito pouco da poesia de Florbela, mas uma das excepções é precisamente este soneto.

Tem poemas muito deprimentes...talvez seja por aí o meu desagrado.

Beijocas e um bom dia

Carmem Grinheiro disse...

Poema de emoções que o tempo não desvanece...
bj amg